10 passos para extrair o melhor dos seus Stories (e dos 4 feeds do Instagram)

- Em - Comunicação, Redes Sociais

Você deve ter visto por aí que o Instagram já está testando a utilização de duas linhas dedicadas aos Stories na home por causa do enorme volume de pessoas utilizando o recurso e também fazendo lives neste período de pandemia. Também já deve até ter usado o novo recurso Reels, que permite a criação de vídeos de até 15 segundos que podem ser editados de forma muito criativa (ao estilo TikTok), acumulados num feed específico e sugeridos na aba “explorar” até para quem não te segue.

Diante de tantas mudanças e novidades, minha missão de hoje é propor uma reflexão sobre os usos de cada um dos 3 feeds do Instagram que você controla – principal, Reels e IGTV (existe um 4º feed, composto por posts em que você foi marcado), além, é claro, do meu objetivo central: ajudar você a aproveitar ao máximo as possibilidades que os Stories nos dão.

Os 4 feeds do Instagram

Para isso, eu vou usar uma metáfora bem simples: uma festa (saudades de festas, inclusive). Vamos lá?

1. Feed principal

Aqui é o registro oficial da sua festa. O álbum feito com fotos selecionadas, que você planejou e executou com mais atenção, com todo cuidado, observando os detalhes que seriam eternizados. É o vídeo bem editado, com música bacana, imagens lindas, gente feliz. A memória que você quer registrar, a forma como você quer lembrar da festança que você deu e na qual investiu grana, tempo e energia. É o mural das coisas que ficam, da melhor impressão que você quer deixar.

O Instagram @casamentopedros é um bom exemplo de registro impecável no feed principal

2. IGTV

O IGTV é a extensão da sua festa, o lugar onde os padrinhos deixaram os depoimentos, onde você inseriu o making of da festa, documentou com mais profundidade os detalhes, explicou, levou seu convidado a uma jornada mais intensa sobre tudo o que aconteceu e sobre o significado desse evento. Aqui você tem mais tempo para conversar com as pessoas e contar o que não deu tempo antes.

Alguns vídeos com registros produzidos da @festadalili (evento LGBT+ conhecido nacionalmente) no IGTV

3. Reels

Neste novo espaço em testes no Brasil, Alemanha e França, você consegue mostrar rapidamente para as pessoas que você conhece – e até para as que não conhece – como a sua festa foi legal, divertida, o quanto as pessoas que estavam lá gostaram do seu evento. E isso pode funcionar como isca para que as pessoas vejam o que você eternizou no feed principal e o que você detalhou no feed do IGTV.

Na imagem da esquerda, o local do Reels na home do Instagram. À direita, o recurso em destaque quando a gente clica na lupa para explorar

4. Stories

Aqui é o lugar dos bastidores, da informalidade, da mensagem rápida e que pode expirar em 24 horas sem problemas. É a lembrança crua do evento, o registro em tempo real, imediato, sem tantos “filtros”. Entre aspas porque não estou falando dos milhares de filtros possíveis de aplicar nas imagens, e sim da menor preocupação com o que vai ser postado, da menor necessidade de editar o volume e o tipo de cena.

Mas será que a forma despretensiosa com que o Story tende a ser encarado significa que ele não demanda tanta atenção e cuidado? A resposta é NÃO. E e eu vou explicar os porquês nos tópicos a seguir, construídos a partir das minhas leituras e também do curso que fiz com o Fernando Pacheco (@fepacheco).

A) Os stories são o lugar ideal para falar com mais intimidade, gerar relacionamento, confiança e mostrar a vida de forma mais real, menos glamourizada e plástica. Eles são o canal ideal para falar de forma rápida e compartilhar conteúdo de modo imersivo e criativo. Um dado importante: pelo menos 1/3 do que as pessoas consomem nos Stories é conteúdo de marca e mais de 1/3 das pessoas começam a se interessar mais por uma marca ao ver o que ela posta nos Stories.

O VP e diretor de Tecnologia do Gran Cursos Online, @rodrigocalado, interage muito em casa usando o recurso Perguntas dos Stories
A @madonna gosta de postar bastidores de suas turnês

B) Ser influente no Instagram é consequência da criação de conteúdos que geram conexões profundas com uma comunidade. Por isso, é preciso pensar-se como uma empresa de conteúdo com calendário editorial e formatos, com estratégia, frequência de publicações, consistência de mensagens. Algumas dicas importantes: seja autêntico, identifique se e quando o assunto sobre o qual você está falando faz parte de uma conversa maior e referencie essa conversa, crie programetes com episódios e acostume sua audiência ao tipo de conteúdo que você publica, construa narrativas que só você é capaz de contar e não se esqueça de que a linguagem neste canal é vertical.

Veja como a Márcia Pacheco, da @casadepaete, se conecta com sua audiência

C) Trate os Stories e os seus feeds (principal, Reels e IGTV) como redes diferentes porque eles são e é assim que as pessoas o percebem. Não apenas adapte conteúdo de outros locais para os Stories. Crie conteúdo específico para eles com mais criatividade, mostrando bastidores, entrando mais “ao vivo” e sem tantos filtros sobre o que deve ou não mostrar. Aqui a vida ideal dá lugar à vida real, como ela é. Num exemplo vem simples: se você posta no feed aquela foto produzida e com a luz perfeita da viagem que fez, nos Stories você mostra os perrengues que passou para conseguir o clique, por exemplo. O conteúdo aspiracional aqui não é tão importante quando o papo reto.

O feed perfeito do fotógrado @jessedriftwood
…em contraste com os perrengues da vida real nos Stories.

D) Consistência é palavra-chave. Deixar de fazer o post de uma editoria faz as pessoas deixarem de lembrar de você como referência para aquele assunto. Consequentemente, você perde relevância.



A @modices tem editorias fixas alimentadas regularmente

E) Fique atento à forma como as pessoas consomem os Stories. Pense, por exemplo, no seu próprio consumo. Você deixa passando enquanto faz outra coisa? Pula rapidamente de um story para outro, de um usuário para outro? Vê no banheiro, no ônibus, com fone, sem áudio? Aqui, a dica de ouro é: seja dinâmico e, se quer converter o Story em alguma ação (clique, visita ao site, compra), deixe sua mensagem nos 3 primeiros segundos. Se o objetivo for gerar relacionamento, aí dá pra relaxar um pouco mais. O mais importante é ser atrativo para que as pessoas voltem ou pausem o que você postou para ver mais, por exemplo. Um bom conteúdo de Story é nativo (feito para ele) e ágil. O próprio Instagram recomenda que não se gaste mais de 5 a 8 telas para um mesmo assunto (e só se ele render tudo isso!)

O presidente do Gran Cursos Online @gabriel.granjeiro escreve artigos semanalmente e sempre posta frases de impacto para atrair a curiosidade do leitor em menos de 3 segundos
@nathaliaarcuri sabe que nem todo mundo vai escutar o que ela está falando, então já deixa claro no texto do que se trata o Story e linka rapidamente pra quem quer saber mais

F) Explore o formato e a ferramenta integralmente, de forma vertical (que é como as pessoas seguram o telefone). Ocupar a tela inteira ajuda a capturar a atenção, assim como deixar tudo com um ar mais caseiro. Estamos falando de uma nova mídia, não dos tradicionais anúncios publicitários mega produzidos. Cuide do áudio e da luz, dedique um pouco de tempo ao estudo da diagramação. Isso ajudará você a pensar melhor na hora de filmar e fazer uma foto, por exemplo, considerando os espaços necessários para evitar que o conteúdo seja cortado, deixando margem para aplicar stickers, textos e tantos outros recursos possíveis. Além disso, explore a ferramenta. Se você clicar num sticker, vai ver que ele tem outras possibilidades de cor e forma, se você inserir uma foto tirada do iphone em modo live, verá que é possível segurá-la por 3 segundos e criar um boomerang. Se você usar o conta-gotas na hora de escolher uma cor, verá que pode pegar as cores da imagem que está usando e criar coisas mais bonitas, elegantes.

O @jessedriftwood também produz vídeos incríveis explorando
todas as possibilidades do próprio Stories e outros apps

G) Use os recursos que o Instagram lança assim que ele lançar e explore todas as possibilidades da ferramenta. No começo, tudo o que o Instagram cria tem entrega muito maior, ou seja, muito mais pessoas verão porque eles querem popularizar o recurso.

H) Use outros aplicativos para surpreender as pessoas com criações que não são possíveis dentro dos próprios Stories. Existem muitos, muitos aplicativos legais para isso e eu vou listar aqui apenas alguns: o View para editar imagens, vídeos, montar vários vídeos num só; o Filmr para colocar música, editar vários vídeos num só; o Inshot para adicionar efeitos interessantes, fazer multi cortes; o Videoleap para quem já tem alguma habilidade com edição de vídeos e quer fazer coisas ainda mais diferentes; Color Story para filtros e efeitos diferentes; Unfold para escolher templates, cores, fundos, fontes; Groovo para músicas próprias.

O @fepacheco apresenta algumas possibilidades
na divulgação que faz do seu Curso de Stories

I) Desenvolva a sua capacidade de criar conexões únicas. É isso é o que vai diferenciar você dos outros milhões de pessoas criando Stories todos os dias, segundo o Felipe Pacheco. E eu concordo. O seu ponto de vista sobre as coisas, os fatos, as pessoas, as situações é que tornam o seu conteúdo único. Então quanto mais você conseguir identificar que perspectiva é essa e explorá-la, mas pessoas você conseguirá atrair como audiência. É a hora de casar o que o que seu público quer com o que você tem à mão. Como tudo na vida, escolha temas pelos quais você é apaixonado, aborde coisas que você gosta e que façam sentido para sua marca, tenha uma programação, um fluxo diário.

A @obviousagency discute feminismo, política e até signos
trazendo o ponto de vista feminino para suas pautas

J) Pesquise, entenda e use as referências do seu público. Vá em busca de perfis, assista a conteúdos que você gosta e depois vá ver os conteúdos que o próprio algoritmo do Instagram recomenda a partir disso. Você sabe quem é relevante dentro das hashtags do seu universo? O que essas pessoas estão produzindo?

E aí? Ajudei? Espero que sim! Eu adoraria continuar conversando com você sobre esse assunto. Então deixa seu comentário, chama no inbox do instagram.com/coletivoconversa ou me manda um e-mail para rodrigo@coletivoconversa.com.br, combinado?

Leia também: 10 ferramentas para usar no instagram

Descubra: Conteúdos para bombar nos stories

Abraços e até mais!

Rodrigo Rocha é sócio do Coletivo Conversa e coordenador dos times de Digital.

Compartilhe nas redes sociais