Reputação: não existe privacidade na Era Digital

- Em - Comunicação, Redes Sociais

Saiba o que você pode fazer para construir uma boa reputação online

De acordo com o relatório Digital 2019: Q4 Global Digital Statshot, mais da metade (4,4 bilhões) da população mundial acessa a Internet. No Brasil, segundo a pesquisa TIC Domicílios 2019, 144 milhões de pessoas estão na rede. 

O mundo, o tempo inteiro, está acessando ou postando informações. A empresa DOMO lançou o infográfico 2020 do Data Never Sleeps (“Dados não dormem nunca”, em tradução livre) e revelou o que acontece na Internet a cada minuto.

Infográfico 2020 do Data Never Sleeps
 Infográfico 2020 do Data Never Sleeps

Por exemplo, no Instagram são postados 347 mil novos Stories; 147 mil fotos são publicadas no Facebook; 41 milhões de mensagens são trocadas no Whatsapp; e o TikTok é instalado 2.074 vezes. 

O que isso tem a ver com reputação? Tudo. Mas para explicar isso, preciso voltar um passo e explicar o conceito da palavra. Reputação é a avaliação social de uma pessoa, de um grupo de pessoas ou de uma organização. No dicionário, ela é definida como qualidade geral ou caráter de alguém como visto ou julgado por pessoas em geral.

Portanto, reputação não é visibilidade. É uma construção que conta com a percepção do outro. É o que as pessoas veem, falam e pensam sobre alguém. A reputação é construída por você, mas validada pelo outro.

Na Era Digital, a coisa complica. Com o volume de informações que circula diariamente, ainda que você proteja seus perfis, não existe privacidade. Estamos sendo vistos e julgados o tempo inteiro. Quanto mais você usa a Internet, mais pegadas você deixa. E isso tem uma relação direta com o perfil de pessoa que redes e mecanismos de pesquisa constroem com base nos sites que você acessa e nos posts que curte. Quem nunca pesquisou um curso na rede e depois começou a receber anúncios similares? Sendo assim, o que você procura, curte, comenta e posta na rede constrói o seu perfil on-line, que pode ser usado por empresas ou validado pelas pessoas que te acessam. 

Quanto mais você produz e compartilha na Internet, mais você está sujeito ao julgamento social. Ou seja, o que você faz online é como os outros vão te ver e te julgar. Sua atividade on-line se tornará sua reputação digital. 

O que eu faço para construir uma boa reputação digital?

Foca nos 4 Cs: conteúdo, congruência, constância e coexistência. 

T, de Truthful (confiável); H, de Helpful (útil); I, de Inspiring (inspirador); N, de Necessary (necessário); e K, de Kind (gentil)
T, de Truthful (confiável); H, de Helpful (útil); I, de Inspiring (inspirador); N, de Necessary (necessário); e K, de Kind (gentil)


Quando pensar em postar um conteúdo, você pode usar o acrônimo THINK para avaliar se a postagem é necessária: T, de Truthful (confiável); H, de Helpful (útil); I, de Inspiring (inspirador); N, de Necessary (necessário); e K, de Kind (gentil). 

E o que é congruência? Significa correspondência de caráter ou qualidades. Ou seja, é preciso que haja uma harmonia entre o que você vive com o que você posta. De forma bem simples: se você tem um perfil que prega saúde e qualidade de vida, não pode ser flagrado na “vida real” fumando ou comendo no McDonald’s. Ninguém está a salvo de ser flagrado e sofrer um escrutínio digital, principalmente figuras públicas e marcas de empresas com grande visibilidade. Atenção: sua persona não pode ser um personagem. 

Para que você construa uma boa reputação digital, é preciso compartilhar um bom conteúdo de forma constante. Reputação não se constrói do dia para a noite, e sim no dia a dia. O volume precisa ser equilibrado. Nem 8 nem 80. 

Reputação Digital
Reputação Digital


A coexistência é outro fator fundamental para construir uma boa reputação. As pessoas estão de olho sobre o quê e como você se posiciona. Sendo assim, coexista no mundo, posicione-se sobre temas que são relacionados à sua área, mas também sobre os que desafiam mudanças na sociedade. Vou arriscar uma rima: empatia não é moda da pandemia. É necessário ser empático e não parecer deslocado da realidade, das pautas que são discutidas no agenda setting das redes sociais e da imprensa.

E quando a crise vem?

Fugir nunca será uma opção. Seguem algumas dicas para lidar com uma crise de imagem nas redes sociais ou na imprensa.

1. Identifique os canais onde ela aconteceu e está repercutindo.

2. Entenda o tamanho da crise.

3. Posicione-se rápido dentro dos canais onde ela está acontecendo.

4. Evite responder aos comentários odiosos.

5. Monitore diariamente (ou até em espaços de tempo menores, a depender da proporção da crise).

Como dicas finais, sugiro que você saia do mundo comoditizado. Valorize sua individualidade. Também é importante construir network. Quanto melhor for o seu, melhor será sua reputação. Atenção: preocupe-se sempre com quais pessoas farão parte do seu conteúdo nas redes. A crise nem sempre começar por você. 

Por último, invista nos seus perfis. Compartilhe suas ideias. Seja autêntico. Fuja do BLÁ BLÁ BLÁ que define a conversação na Internet hoje. 

Leia também: Os 10 erros mais comumente cometidos por marcas e influenciadores

Kadydja Albuquerque é jornalista e sócia do Conversa | Estratégias de Comunicação Integrada

Compartilhe nas redes sociais